Quem já comeu sabe o quanto o cará é saboroso. O tubérculo, que é bem parecido com o inhame, é rico em fibras e carboidratos. Mas não é só como refeição que o cará pode ser utilizado. Uma pesquisadora de Manaus (AM) descobriu uma nova e importante função para a raiz.

Ana Cecília Nina Lobato criou um filme biodegradável a partir da fécula extraída do cará que pode substituir o plástico de embalagens. Ana faz doutorado em Agronomia Tropical na Universidade Federal do Amazonas. A pesquisa é desenvolvida em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas na Amazônia (Inpa).

A iniciativa sustentável faz um bem danado para o meio ambiente porque a degradação do filme é absolutamente mais rápida do que a do plástico convencional.

Além disso, o produto ajuda a poupar as vidas de animais que morrem ao comer sacolas de plástico. “Caso seja descartado de forma inadequada, os animais que por ventura se alimentarem dessas embalagens não vão sofrer engasgamento, o que ocorre com o plástico convencional, pois vai ser digerido no trato gastrointestinal”, disse Ana.

Para criar o filme, a pesquisadora extrai a fécula do cará e adiciona água e glicerol, para deixar o filme mais fino e transparente. O material ainda passa por um processo com calor, fermentação e pode receber outros ingredientes naturais.

Plástico criado a partir do caráMembrana plástica pode ficar mais rígida ou mais fina de acordo com o processamento. Foto: Arquivo pessoal

Outros materiais também são usados para fabricar filmes biodegradáveis como esse, a exemplo da mandioca e da casca da banana. “A vantagem é que agrega valor à cultura do cará e abre portas às outras culturas para a produção desse filme. São alternativas sustentáveis ao plástico tradicional, que utiliza derivados do petróleo”, disse.

Filme plástico criado a partir do cará é flexívelFilme plástico do cará consegue ficar completamente flexível. Foto: Arquivo pessoal

Outro benefício é que a embalagem feita do cará poderia mudar de cor quando o alimento embalado estivesse estragado. “Como o cará é rico em antocianina, estamos desenvolvendo com ele uma embalagem ativa capaz de indicar ao consumidor se o alimento embalado está apto ao consumo”, explicou a pesquisadora.

Leia também:

Pesquisa mostra que fécula do cará também pode substituir o trigo

O interesse pelo cará começou há dez anos, quando Ana percebeu que os agricultores não estavam mais investindo na produção do cará e plantando apenas para consumo familiar.

Junto com outros pesquisadores, ela criou alternativas para incentivar a cultura. Uma delas é a produção da fécula do cará, que passou a ser utilizada na região para substituir o trigo em produtos de panificação.

Cará é utilizado para substituir o trigoCará roxo é bastante utilizado na gastronomia amazonense e ganhou essa nova função de substituir o trigo. Foto: Alamy

Boa, Ana! Que ideia do cará… 🤣👏🏽👏🏽👏🏽

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.
  • Envie sua história aqui.

Fotos de capa: 1 – Alamy; 2 – Arquivo pessoal

conteúdo original

Artigos relacionados
Carregar mais por redação
Carregar mais em Comportamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Guarulhos passa de 3 mil casos confirmados de Covid-19; mortes são 293

Nesta segunda-feira (1º) Guarulhos contabiliza 3.056 casos confirmados de Covid-19, além d…