“Eu estava disposto a fazer o possível”, foi assim que o estudante de medicina veterinária Lucas Pereira respondeu ao ‘chamado’ para salvar um cãozinho com parada cardíaca.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O momento de pura tensão e muita aflição pra quem vê aconteceu na terça (19), em Piranhas (GO). O vídeo da cena viralizou nas redes sociais e Lucas recebeu muitos elogios pelo controle da situação.

Lucas é estudante da Univar e estava no intervalo de uma aula de EAD quando ouviu gritos de “o cachorro tá morrendo” vindo da rua.

estudante veterinária faz massagem cardíaca cachorro

estudante veterinária faz massagem cardíaca cachorro

Lucas reanimou o cãozinho que tinha sinais de envenenamento. Imagem: Reprodução/Instagram @lucas_martins6

“Chegando lá, eu vi que ele estava quase entrando em óbito. Aí comecei os procedimentos de retirar a saliva. Para reanimá-lo, fiz a massagem cardíaca”, lembra Lucas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A massagem durou quase cinco minutos, até que finalmente o cãozinho ficou de pé.

Lucas, que está apenas no primeiro semestre da faculdade, confessou que ficou apreensivo. “Fiquei com medo dele não reagir com a massagem.”

Eu fiquei superrr apreensivo vendo o vídeo, mesmo sabendo que ia acabar bem!

estudante veterinária faz massagem cardíaca cachorro

estudante veterinária faz massagem cardíaca cachorro

Imagem: Reprodução/Instagram @lucas_martins6

“O sentimento de ter salvo o cachorrinho me trouxe mais ainda a certeza de que quero ser um médico veterinário.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

cachorro levanta chão após receber massagem cardíaca

cachorro levanta chão após receber massagem cardíaca

Imagem: Reprodução/Instagram @lucas_martins6

Cuidados

Lucas alimentou o cãozinho, deu água e também um caldo de carvão aditivado para o pobrezinho, já que ele tinha sinais de envenenamento, “isso ajudou a retirar o veneno do organismo”.

“Tudo indica que ele foi envenenado. Por conta da situação clínica dele. Vômito, urinando e muita saliva saindo pela boca. Porém, a origem do veneno não se sabe.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

estudante veterinária escritório

estudante veterinária escritório

Lucas está no primeiro semestre da faculdade de medicina veterinária. Foto: Arquivo pessoal

Estudante pensa em adotar o doguinho

Ninguém da vizinhança conhecia o cachorro, nem Lucas.

O cãozinho foi liberado depois de receber os cuidados de Lucas. Se o dono não aparecer, ele pensa em adotar o bichinho.

“Estamos procurando ele para adota-ló. Não ficamos com ele por não saber se é de rua ou se ele tinha dono. Aqui na vizinhança ninguém conhecia ele”, explica.

Participe do nosso canal no Telegram e receba todas as matérias e novidades do Razões, clique aqui.

Envenenamentos são recorrentes

Infelizmente, essa é uma dura realidade. Eu mesmo tive uma gatinha que foi envenenada por “alguém da rua”. Lucas deixa uma mensagem para que as pessoas parem logo com isso.

“A mensagem que quero deixar é que as pessoas tenham mais amor aos animais, pois eles não conseguem falar a causa de seus problemas e doenças, igual nós humanos conseguimos. Eles sentem a mesma dor que nós humanos sentimos. Então, não os envenene.”

Veja o vídeo:

Não vai embora, não! Vem se encantar com a história de um garoto que desde os 9 anos resgata animais de rua e hoje tem o próprio abrigo.

selo conteúdo original

selo conteúdo original

Artigos relacionados
Carregar mais por redação
Carregar mais em Comportamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Internada em hospital, grávida tem “encontro” com marido pela janela

No dia 23 de março, Shona Moeller, uma moradora de Chicago, nos EUA, teve a sua bolsa amni…