manifestacoes pelo brasil

Nesse domingo (31), São Paulo foi palco de duas manifestações que terminaram em confronto violento com a PM (Polícia Militar). Atos contra o racismo e também de apoio ao presidente da República pipocaram durante o fim de semana.

Na avenida Paulista, um grupo formado por torcidas organizadas, do Flamengo e do Corinthians, fez frente a um bando de manifestantes pró-Bolsonaro. A hostilidade entre as os dois lados terminou em confronto envolvendo policiais militares.

Nas redes sociais, circulam imagens mostrando a repressão policial contra o grupo de torcedores. A polícia usou bombas de gás lacrimogênio, balas de borracha e cassetetes para conter os manifestantes (veja o vídeos abaixo).

Diferença no tratamento

Alguns internautas destacaram, nas redes sociais, que a PM tratou de maneira desigual os manifestantes pró-Bolsonaro, daqueles que estavam contra o governo. Em um dos vídeos, por exemplo, uma mulher com um taco de beisebol ameaça outras pessoas, enquanto é escoltada sem violência por um policial.

Qual a motivação?

Os coletivos antifascistas dos clubes foram para as ruas em defesa da democracia. A manifestação, convocada pela Gaviões da Fiel, contou também com gritos e bandeiras contra: o fascismo, o racismo e o presidente Bolsonaro.

Em outras cidades, como Rio de janeiro e Porto Alegre, coletivos de torcidas também protestaram (veja os vídeos abaixo).

Os 300

Outra manifestação que chamou a atenção no fim de semana foi a do acampamento “300 do Brasil”, que aconteceu na madrugada de domingo (31), em Brasília. Com tochas na mão, o grupo marchou em frente ao STF (Supremo Tribunal Federal). O ato foi comparado a uma manifestação nazista.

Liderados pela influenciadora e apoiadora de Jair Bolsonaro, Sara Winter, o coletivo publicou ameaças relacionadas aos ministros do STF, inclusive com o uso de armas. O ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, chegou a comentar o ato, que reuniu poucas dezenas de pessoas.

“Tão loucos mas, ainda bem, tão poucos. O único inverno chegando é o das quatro estações”, escreveu Moro.

Ato pró-Bolsonaro em Brasília

Também nesse domingo, apoiadores do presidente se reuniram em Brasília e foram acompanhados pelo próprio Jair Bolsonaro. Na ocasião, o mandatário andou de cavalo em meio aos manifestantes e cumprimentou os apoiadores, sem o uso de máscaras.

+ Sem máscara, Bolsonaro participa mais uma vez de ato que pede fechamento do STF

A atitude de Bolsonaro contraria as orientações da OMS (Organização Mundial de Saúde). O uso da máscara é essencial para frear a disseminação da Covid-19.

Contra o racismo policial

No Rio de Janeiro, manifestantes se reuniram para protestar contra a violência policial, especialmente contra os negros. Uma das imagens que marcou o ato foi a de um policial apontando um fuzil para um jovem desarmado (veja abaixo).

Artigos relacionados
Carregar mais por redação
Carregar mais em Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Covid-19: Carros poderão circular dentro de shopping em drive-thru inusitado; medida divide opiniões

O Shopping Botucatu iniciou um sistema de drive-thru nesta quinta-feira (Twitter/Reproduçã…