Joelison Fernandes da Silva, o “Ninão”, mora no interior da Paraíba. O homem mais alto do Brasil tem 2,37m e 193 kg e, por conta de problemas causados pela sua altura e peso, está há um ano e meio sem poder andar.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ninão passou quase todo esse tempo dentro de casa, saindo para as consultas médicas usando uma cadeira de rodas de banho, que era a única que lhe cabia. Mas esta semana ele recebeu um grande presente.

Uma clínica ortopédica de Belo Horizonte (MG) construiu uma cadeira de rodas apropriada para o tamanho de Ninão. Só que, depois de pronta, a dificuldade era conseguir transportar a cadeira de Minas para a Paraíba. Após fazer um apelo nas redes sociais, uma transportadora mineira garantiu o transporte.

Ninão, o homem mais alto do Brasil usando cadeira de rodasJoelison Fernandes da Silva é o homem mais alto do Brasil. Foto: Arquivo pessoal

A cadeira é essencial. Ela é grande, mas desmonta e dá pra botar em qualquer carro para ir para onde precisar”, disse ele.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Posted by Valdenise Medeiros on Sunday, February 2, 2020

A clínica Evoluir decidiu confeccionar a cadeira há dois meses, e foi a transportadora Braspress que se disponibilizou para levar a cadeira. As duas empresas fizeram isso gratuitamente para ajudar ao Ninão. Grande atitude!

Quero agradecer a todos que entraram em contato comigo tentando me ajudar ❤Antidio Medeiros compartilha aí meu irmão 🙏

Posted by Ninão Joelison Fernandes on Wednesday, February 5, 2020

Ninão enfrenta problemas e precisa de tratamento para voltar a andar

Morando na pequena cidade de Assunção, no Cariri da Paraíba, Ninão vive com a esposa em uma casa pequena. Os problemas de saúde por causa da altura e do peso são constantes.

Foi por causa disso que ele desenvolveu uma infecção bacteriana no osso do pé que o deixou sem andar. Para voltar a caminhar e fazer a alegria de muitas crianças por onde passa, o ‘gigante’ precisa de ajuda.

Ninão, o homem mais alto do Brasil e sua esposa

Ninão precisa fazer um tratamento chamado Oxigenoterapia hiperbárica, em que a pessoa é submetida a uma sessão numa câmara de ar com oxigênio 100% puro para combater a bactéria.

O problema é que ele não tem o valor para pagar pelo tratamento. Hoje, o valor do benefício social que recebe mensalmente banca praticamente apenas os medicamentos. A esposa, Even Karoline, trabalha fazendo topos de bolo, e o complemento da renda da família vem de doações.

Preciso muito da ajuda de todos para poder fazer esse tratamento que pode me fazer voltar a andar”, disse Ninão.

Para custear o tratamento, Ninão criou uma vaquinha online.

Cadeiras de rodas para crianças com doenças raras

A Apraespi (Associação de Prevenção, Atendimento Especializado e Inclusão da Pessoa com Deficiência) tem uma fila de 50 crianças com doenças raras que precisam de cadeiras de rodas especiais para terem uma infância com mais liberdade.

Para ajudá-los nessa missão, criamos uma vaquinha na VOAA. Clique aqui e contribua.

Foto: Apraespi

[Nota da Redação]

A cada bebê que traz ao mundo, o médico Calixto Hueb presenteia a mãe com uma arvorezinha para que a criança cresça com ela. É um primeiro presente à família do recém-nascido e também uma contribuição valiosa do médico para a preservação do meio ambiente. Vem conhecer mais essa história, dá play no vídeo abaixo:

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.
  • Envie sua história aqui.

conteúdo original

Artigos relacionados
Carregar mais por redação
Carregar mais em Comportamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Em estreia como rainha de bateria, Lexa cai durante desfile

PUBLICIDADE A cantora Lexa se desequilibrou e foi ao chão durante o desfile da Unidos da T…