PUBLICIDADE

Durante uma operação do Ministério Público do Trabalho (MPT) dez trabalhadores foram resgatado trabalhando em condição análoga à de escravidão pele prefeitura de Olinda.  Segundo o MPT eles não tinham carteira assinada e recebiam 400 reais por mês, menos da metade do salário mínimo. Os funcionários viviam em uma casa sem condições de higiene. 

A operação aconteceu entre os dias 31 de janeiro e 11 de fevereiro, e participaram do resgate trabalhadores integrantes do Grupo Especial de Fiscalização Móvel, do MPT. 

Segundo o Ministério Público o grupo habitava em um imóvel pequeno. O MPT detectou risco de incêndio e choque elétrico. As pessoas dormia em pedaços de papelão e espumas. 

Os trabalhadores estavam nas proximidade da comunidade de Pipoqueira, no Varadouro, em Olinda, e atuavam em uma obra de construção civil e não usavam equipamentos de proteção elétrica. 


Leia também

Fonte: Grupo JBR

Artigos relacionados
Carregar mais por redação
Carregar mais em Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Lista de falecimentos – 27/2/2020

ADEMAR DE FREITAS, 67 ano(s). Data de Falecimento: quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020. …